Assassinatos de gays aumentaram 30% em 2007, diz ONG

SALVADOR - A organização não-governamental (ONG) Grupo Gay da Bahia (GGB) informou nesta terça-feira que 122 homossexuais foram assassinados no Brasil no ano passado. Desse total, 73% eram profissionais do sexo e 65% menores de 21 anos.

Agência Estado |

O número registra um aumento de 30%, ante aos 94 assassinatos de 2006, segundo o relatório anual do GGB. De acordo com o estudo, um gay corre 84% mais risco de ser assassinado no Nordeste do que nas outras regiões do País. A ONG informou ainda que o Brasil é o campeão mundial de crimes homofóbicos, seguido do México com 35 homicídios por ano e Estados Unidos, com 25.

Segundo o GGB, o relatório é baseado em notícias de jornais e internet, pois não existem estatísticas governamentais contra crimes de ódio no Brasil. Apesar de certamente "incompleto", como a própria instituição considera, o estudo é apreciado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos como o principal documento sobre os crimes contra homossexuais no País.

O relatório revelou também que só nos três primeiros meses de 2008 já foram registrados 45 homicídios contra gays. "Este ano a violência homofóbica está ainda mais preocupante, estamos vendo um verdadeiro homocausto", afirmou o professor Luiz Mott, um dos responsáveis pela elaboração do relatório.

Na avaliação do presidente do GGB, Marcelo Cerqueira, há três soluções imediatas contra os crimes homofóbicos, "ensinar à população, sobretudo aos jovens, a respeitar os direitos humanos dos homossexuais, exigir que a polícia e a Justiça punam com toda severidade a homofobia e, sobretudo, que os próprios gays e travestis evitem as situações de risco".

Leia mais sobre: gays

    Leia tudo sobre: gays

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG