As mudanças da pele durante o climatério

As mudanças da pele durante o climatério Por Carolina Ferolla* O climatério é o período de transição entre a fase reprodutiva da mulher e a não reprodutiva, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários. Neste período a mulher sofre muitas alterações no seu organismo e uma delas é a mudança das características da pele.

Agência Estado |

As mudanças são significativas e se acentuam ainda mais com o envelhecimento interno e externo, causado pela idade, exposição solar crônica, tabagismo, sedentarismo, alimentação inadequada, doenças cutâneas ou sistêmicas, como diabetes e hipotiroidismo.

A pele fica desidratada causando o ressecamento, descamação, perda de tônus, sustentação e alteração das fibras elásticas. Esse quadro acentua a flacidez e o aparecimento de rugas em locais de maior expressão.

O tratamento deve iniciar o quanto antes, com o uso diário de ácidos, substâncias potencialmente hidratantes, como uréia, lactato de amônia, PCA-Na, associados ou alternados com tensores ou substâncias dermorelaxantes, como DMAE, Tensine, Argiriline. O uso de antioxidantes também é primordial, como vitamina E, chá verde e vitamina C, por combaterem os radicais livres formados diariamente pela exposição às diferentes formas de radiação e por demais agressores.

No consultório, os tratamentos indicados são: com ácidos ("peelings"), luz intensa pulsada, laser, radiofrequência, "ligth emitting diodes" e terapia fotodinâmica que contribuem para a renovação celular e manutenção da saúde cutânea, por diferentes mecanismos de ação.

Lembrando que todo tratamento deve ser indicado pelo especialista, através de uma avaliação.

*A Dra. Carolina Ferolla é dermatologista e diretora da Clínica Carolina Ferolla, em São Paulo - clinicacarolinaferolla.com.br.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG