SÃO PAULO - A pouco mais de um mês para a chegada do Natal, a cidade de São Paulo ganha hoje uma árvore diferente, que em vez de luzes e guirlandas, terá diversos celulares espalhadas pelos seus galhos.

A "maluquice" é uma instalação artística de luz e som das estonianas Eve Arpo e Rinn Kranna-Rõõs e tem o nome de "A Day Without a Mobile Phone" ("Um Dia sem um Telefone Móvel").

Às 17 de hoje, na saída da estação de metrô São Bento, as duas pedirão para que o público empreste seus celulares para serem pendurados na árvore por um período de 24 horas. Quem passar pelo local poderá ligar para os números dos aparelhos e criar uma sinfonia de ringtones.

As estonianas, que são convidadas deste ano do MobileFest, um evento sobre cultura móvel que acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, nos dias 15, 16 e 17 de novembro, conversaram com o IG horas antes da performance.

Como funciona a instalação de vocês?

Nós construímos a árvore e deixamos que o público espalhe as informações. Quem for ver a instalação poderá dar os seus celulares para serem pendurados nos galhos por 24 horas. É claro que nós vamos pegar os contatos dessas pessoas, seus aparelhos estarão seguros. No dia seguinte é só voltar ao local e pegá-lo de volta. Nós vamos pôr placas que exibirão os números dos telefones pendurados. Daí quem passar pelo local poderá fazer quantas ligações quiser para esses aparelhos. O resultado é uma verdadeira sinfonia! (risos)

Por quantos países a instalação já passou? Há diferenças de reações por parte do público?

O Brasil é o terceiro país. Antes passamos pelo Canadá e pela própria Estônia. Cada lugar tem uma reação própria, mas a sensação que existe é a mesma: as pessoas não sabem viver sem OS seus celulares. Na Estônia a resposta foi incrível, tivemos mais de 50 celulares pendurados. Já no Canadá nós construímos uma rede. Cidades são um ótimo playground.

Qual a reflexão que vocês querem trazer com "A Day Without a Mobile Phone"?

Nós usamos celulares há mais de uma década e hoje eles se tornaram parte da sociedade. Foi uma mudança enorme! Ainda mais agora, quando se pode navegar na internet e ler e-mails nele. Nós não queremos mostrar que ficar um dia sem celular seja bom ou ruim. Queremos estimular uma discussão, que as pessoas realmente sintam essa mudança.

E é possível passar um dia celular?

Eu já passei vários, inclusive nos países por onde a instalação passou. Agora mesmo eu estou sem!

Leia mais sobre o Mobile Fest

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.