Artistas celebraram aniversário de Mandela com show em Nova York

Um grande show beneficente em homenagem a Nelson Mandela foi realizado na noite de sábado em Nova York para celebrar seu 91º aniversário, diante de uma sala lotada que vibrou com os artistas participantes, incluindo a primeira-dama da França Carla Bruni-Sarkozy.

AFP |

Dezenas de músicos e cantores, em sua maioria norte-americanos e africanos, passaram pelo cenário da lendária sala art-deco do Radio City Music Hall em Manhattan.

O show terminou com o "Parabéns a você", na voz de Stevie Wonder, entonado pela maioria dos participantes na noite de homenagem a Mandela, ausente do espetáculo.

Grandes figuras da música negra norte-americana fizeram o público vibrar, incluindo Stevie Wonder, Aretha Franklin, Gloria Gaynor e Queen Latifah.

Outra apresentação notável foi a de Carla Bruni-Saorkozy, que interpretou duas canções ao lado de Dave Stewart, acompanhados por uma violinista.

A ex-modelo, que se apresentava em público pela primeira vez desde que se casou com Nicolas Sarkozy, cantou um clássico de Bob Dylan, "Blowin' in the Wind", e, em francês, seu mais famoso sucesso "Quelqu'un m'a dit" (Alguém me disse).

Ao apresentar sua canção, Bruni disse que era "uma pequena música francesa, muito boa para dançar, muito boa para sonhar". O público a aplaudiu calorosamente, incluindo o presidente francês, presente na sala.

O show do "Dia de Mandela" encerrou uma semana de celebrações em homenagem ao herói da luta contra o Apartheid. Por razões de saúde, o prêmio Nobel da Paz não pode viajar a Nova York para assistir ao evento.

Em uma mensagem gravada em um vídeo apresentado durante o show, Mandela agradeceu ao público e aos artistas. Em outra mensagem de vídeo, o presidente norte-americano, Barack Obama, também desejou "feliz aniversário" a Nelson Mandela.

"A história de sua vida pode ser resumida com suas próprias palavras: as coisas parecem impossíveis até que se tornem uma realidade. Sua vida nos ensina que o impossível pode se realizar", disse Obama.

A Fundação Mandela, encarregada de preservar o legado político do primeiro presidente negro sul-africano, lançou o Dia de Mandela, que coincidi com a data de seu aniversário.

Propõe que cada pessoa dedique simbolicamente 67 minutos desse dia a boas ações, em referência aos 67 anos de luta de Mandela pela igualdade na África do Sul.

O show serviu para arrecadar fundos destinados à luta contra a Aids como parte da "Campanha 46664", em referência ao registro de preso de Mandela durante os 27 anos que passou nas prisões sul-africanas, antes de governar o país entre 1994 e 1999.

aa/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG