Artefato amarrado na cintura de tesoureiro não era de explosivos

RIO DE JANEIRO ¿ Agentes do esquadrão antibombas da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil constataram que o artefato que estava preso na cintura do tesoureiro da agência do Bradesco de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, não continha explosivos. Um grupo de assaltantes deixou-o em frente ao banco, no fim da manhã desta quinta-feira, com uma imitação de bomba, feita com fita adesiva e fios de telefone presos a um cinturão.

Redação |

Segundo a polícia, o funcionário e sua família ¿ dois filhos, um menino de 7 anos e uma menina de 12 anos ¿ além da empregada doméstica, foram feito reféns, por volta das 19h desta quarta-feira. Eles foram levados da residência onde moram, no município de Nova Iguaçu, para um cativeiro. Os familiares do funcionário foram mantidos reféns por quatro dos bandidos e ele foi levado para um cativeiro por outros três.

Inicialmente, a informação repassada pela 64ª DP (Vilar dos Teles) era de que o gerente da agência tinha sido feito refém e, pela aparência do artefato, existiam suspeitas de que se tratavam de explosivos. Às 9h desta quinta-feira, os assaltantes levaram o tesoureiro para a agência, onde esperavam a chegada de um carro-forte com R$ 600 mil destinados ao pagamento dos funcionários. Os bandidos ameaçavam a vítima, informando que se ele não colaborasse iam explodir a bomba.

De acordo com a polícia, o funcionário conseguiu ligar para o gerente do banco, que acionou homens do 21º BPM (Vilar dos Teles). Os bandidos perceberam a movimentação e desistiram da ação, deixando o funcionário dentro da agência, com o artefato amarrado na cintura. Os outros quatro membros do grupo, ao tomarem conhecimento do fracasso a ação, fugiram, deixando os familiares no cativeiro.

No início da tarde, a polícia localizou o cativeiro onde os familiares do tesoureiro estavam sendo mantidos, em Nova Iguaçu. O funcionário, bastante assustado, vai prestar depoimento na 64º DP. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos.

    Leia tudo sobre: assalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG