Arruda recusa notificação de processo de impeachment

BRASÍLIA (Reuters) - O governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), recusou-se a receber nesta sexta-feira a notificação da abertura do processo de impeachment contra ele. A defesa alegou que Arruda não teve acesso integral a todos os documentos necessários para sua defesa. Na quinta-feira, a Câmara Legislativa do DF aprovou por unanimidade a abertura do processo para afastá-lo do cargo.

Reuters |

Arruda redigiu uma carta justificando a recusa e entregou o documento ao primeiro-secretário da Câmara Legislativa, deputado Batista das Cooperativas (PRP), encarregado de notificar o governador.

"Ele não quer fazer meia defesa. Ele quer fazer defesa plena", disse o advogado de Arruda, Nélio Machado, ao deixar o prédio da Polícia Federal onde o governador está detido em Brasília.

Citado em suposto esquema de pagamento de propinas, Arruda, ex-DEM, está preso desde o dia 11 de fevereiro por suspeita de ter tentado subornar uma testemunha do caso.

Com a aprovação do processo, Arruda terá 20 dias para apresentar sua defesa. O relator do caso, deputado Chico Leite (PT), terá então 10 dias para redigir um parecer final, que será analisado por uma comissão especial e pelo plenário.

Arruda poderá renunciar ao cargo a fim de manter seus direitos políticos até antes do início dessa última votação.

A mesa diretora da Câmara Legislativa pode determinar que Arruda seja notificado à revelia, bastando apenas a presença de duas testemunhas.

(Reportagem de Bruno Peres)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG