Arruda poderá se defender como membro do partido

A Executiva Nacional do DEM decidiu nesta tarde dar ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, a possibilidade de apresentar sua defesa contra as acusações de que ele comandava um esquema de arrecadação e distribuição de propinas a aliados ainda dentro do quadro do partido. Após reunião realizada no Senado, os integrantes da Executiva do DEM decidiram abrir processo de expulsão contra Arruda, mas com direito de defesa do governador.

Agência Estado |

O escolhido para fazer o relatório do processo foi o deputado José Carlos Machado (SE), que deverá apresentar seu parecer no dia 10 de dezembro. Se os dirigentes do DEM considerarem as explicações do governador convincentes, Arruda poderá ser absolvido ou receber punições mais brandas, como advertência ou suspensão.

Durante a reunião, os senadores Demóstenes Torres (GO), José Agripino Maia (RN), e o líder do partido na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), votaram pela expulsão sumária de Arruda do partido.

Arruda, único governador eleito pelo DEM em 2006, foi alvo da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal na última sexta-feira. Imagens em poder da PF mostram indícios de um esquema de pagamento a políticos, empresários e aliados, proveniente de propina vinda de empreiteiras e prestadoras de serviço.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG