Arruda perde sustentação política

BRASÍLIA - As denúncias envolvendo o governador José Roberto Arruda, do Distrito Federal, já deixaram o governo sem sustentação política. Entre hoje e amanhã, ele perderá apoio de importantes siglas. Com a derrocada de partidos, sairão também deputados da base e secretários de governo.

Erika Klingl, iG Brasília |

Arruda, que sempre teve ampla maioria na Câmara Legislativa, ficará com metade dos votos. O quadro pode piorar ainda mais se forem descontados os deputados distritais que foram filmados recebendo dinheiro de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais. O iG exibiu as imagens em primeira mão.

Até semana passada, Arruda contava com, pelo menos, 18 dos 24 votos na Câmara na maioria das votações. Em apenas quatro dias de crise, já anunciaram saída do governo PSDB, PSB, PPS e PDT que, juntos, têm cinco deputados. Além disso, outros cinco deputados estão sendo investigados por terem recebido recursos ilegais do governo.

Secretários

Além do enfraquecimento na base aliada, o governo também teve uma debandada de secretários. Ao todo, nove deixaram ou deixarão o governo. Desde sexta-feira, foi exonerado o próprio Durval e afastados os secretários de Educação, José Luiz Valente, da Casa Civil, José Geraldo Maciel, e o chefe de gabinete do governo, Fábio Simão, além do assessor de imprensa, Omézio Pontes.

Com a saída dos partidos, devem deixa o governo nos próximos dias o secretário de Saúde, Augusto Carvalho (PPS) e o secretário de ensino integral,  Marcelo Aguiar (PDT). Com a saída do PSDB anunciada hoje pelo presidente do partido, senador Sérgio Guerra, devem sair do governo Márcio Machado, secretário de Obras, e José Humberto Pires que ocupa a secretaria de Governo.

Presidente da Câmara põe dinheiro na meia:

Escândalo no Distrito Federal

Entenda

Inquérito da PF

Vídeos

Leia também

Crise de 2001

    Leia tudo sobre: arrudabrasiliacorrupçãodistrito federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG