Arrecadação cai 7,5% em junho com base inflada de 2008

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal arrecadou 54,034 bilhões de reais em impostos e contribuições em junho, uma queda real de 7,5 por cento frente ao mesmo período do ano passado, mas vê sinais de recuperação. Segundo a Receita Federal do Brasil, que divulgou os dados nesta quinta-feira, o recuo foi amplificado por um ingresso atípico de recursos em junho de 2008 --o que turbinou a base de comparação.

Reuters |

Marcelo Lettieri, coordenador-geral de estudos, previsão e análise da Receita, explicou que houve em junho de 2008 o pagamento de um auto de infração de 1,3 bilhões de reais.

"Em julho não só a tendência de recuperação vai continuar como teremos recolhimentos atípicos que vão jogar a arrecadação para cima e pode até trazer um aumento real de arrecadação em julho", disse.

No primeiro semestre do ano, a arrecadação somou 324,696 bilhões de reais, ante 349,208 bilhões de reais recolhidos no mesmo período de 2008.

Os dados são corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

"Tudo indica que... o pior teria passado. Há uma tendência de recuperação, embora lenta", disse.

"O que vinha sustentando o crescimento de arrecadação em 2008 era o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica... Assim como a gente tinha uma bolha no sistema financeiro e essa bolha estourou, a gente tinha uma bolha de arrecadação e essa bolha estourou."

A divulgação foi a primeira feita após a demissão de Lina Maria Vieira do comando da Receita. Ela foi substituída interinamente por Otacílio Dantas Cartaxo, secretário-adjunto do órgão.

Ao apresentar os dados, Lettieri disse que não se pronunciaria sobre a secretária ou versões da saída dela. Entre os motivos citados por jornais no país estava justamente a queda da arrecadação e o fato de a Receita estar investigando a Petrobras por supostas irregularidades contábeis.

RECOLHIMENTOS ATÍPICOS

Entre a arrecadação atípica prevista para julho está a de uma grande empresa que perdeu uma ação, da ordem de 500 milhões de reais, informou Lettieri.

"Temos o IPO (oferta pública inicial de ações) da Visanet. Nós estamos levantando os valores com os principais bancos", acrescentou, explicando que uma parte será recolhida em julho e outra em agosto.

"Algumas empresas, bancos que lucraram com IPO podem utilizar compensações... então a gente está trabalhando com uma estimativa de que podemos chegar a 2 bilhões de reais nos dois meses."

Ele explicou que o volume poderia ser de 3 bilhões de reais, mas a estimativa de arrecadação é menor por conta das compensações possíveis.

(Reportagem de Ana Nicolaci da Costa)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG