O presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), decidiu arquivar a terceira denúncia apresentada ao colegiado contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) já anunciou que vai recorrer da decisão.

A denúncia refere-se à Fundação José Sarney, especificamente sobre a suspeita de a instituição ter desviado pelo menos R$ 500 mil do patrocínio de R$ 1,3 milhão da Petrobras para empresas fantasmas e empresas da família do presidente do Senado. A denúncia foi apresentada pelo líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM).

"Não pode este conselho ser nem instrumento de ação político-partidária nem substituir o eleitor em sua decisão soberana como titular do poder", diz o relatório do presidente do Conselho de Ética, que considerou as acusações "genéricas". Antes, ele anunciou o arquivamento das denúncias em que Sarney era acusado de quebra de decoro parlamentar por ter mentido sobre sua participação na direção da Fundação José Sarney; e de que teria beneficiado o neto José Adriano Sarney, em operações de crédito consignado de funcionários da Casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.