CAIRO (Reuters) - Arqueólogos japoneses que trabalham no Egito encontraram quatro sarcófagos de madeira e imagens associadas de deuses que podem datar de até 3.300 anos atrás, anunciou o governo egípcio na quinta-feira. A equipe da Universidade Waseda, de Tóquio, descobriu os sarcófagos antropomórficos num túmulo na necrópole Sakkara, a 25 quilômetros ao sul do Cairo, disse em comunicado o Conselho Supremo de Antiguidades.

Sakkara, que era o cemitério da cidade de Mênfis, da antiguidade, ainda é uma das fontes mais férteis de antiguidades egípcias. Arqueólogos dizem que muitos artefatos ainda estão soterrados sob a areia.

O túmulo também continha três jarros canópicos de madeira, nos quais os egípcios da antiguidade tentavam conservar órgãos internos, e quatro caixas de figuras ushabti, as estatuetas de criados que deveriam servir ao morto na vida após a morte.

Os sarcófagos não continham múmias porque o túmulo foi saqueado ainda na antiguidade, mas eles têm pinturas originais em preto e amarelo mostrando deuses egípcios da antiguidade, segundo o comunicado do Conselho.

Uma das caixas de ushabti está em ótimo estado e nunca tinha sido aberta, mas a maioria das 38 estatuetas em seu interior estava quebrada. A caixa pertencia a um homem chamado Tut Bashu, dono original de um dos féretros.

O comunicado não deu maiores detalhes sobre os mortos, mas disse que foram enterrados no período ramessida, entre 1300 e 330 a.C.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.