Arqueólogos encontram igreja de 1.300 anos de antiguidade na Síria

Damasco, 13 nov (EFE) - Uma equipe de arqueólogos sírios e poloneses descobriu uma igreja de 1.300 anos de antiguidade em Palmira, no leste da Síria, que acredita-se ser a maior encontrada na região, informou hoje a agência de notícias oficial Sana.

EFE |

O diretor de Museus e Ruínas de Palmira, Walid Assad, afirmou que o templo, com dimensões de 47 metros de comprimento, 27 de largura e seis de altura, tinha um pátio amplo, rodeado por seis colunas, três em cada lado, que levavam a corredores que acabavam na fachada do mesmo.

Assad explicou que, no pátio da igreja, há um pequeno anfiteatro, que era dedicado a rituais e cerimônias cristãs, enquanto em torno do templo há dois quartos que eram empregados para efetuar batismos e outros rituais.

Segundo o diretor do museu, o santuário permaneceu ativo durante a dinastia Omíada (661-750 d.C.) e, mais tarde, foi substituído por igrejas menores. EFE gb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG