Arqueólogos descobrem crânios esculpidos de mais de 8 mil anos em Israel

Jerusalém, 13 ago (EFE).- Arqueólogos israelenses descobriram três crânios esculpidos datados da Idade de Pedra - com mais de 8 mil anos - e que demonstram o desenvolvimento do culto aos antepassados naquela época.

EFE |

Os crânios, encontrados nas escavações de Yiftah, na Baixa Galiléia, pertencem ao Neolítico pré-cerâmico período B, diz um comunicado divulgado hoje pela Autoridade Israelense de Antiguidades (IAA, em inglês).

O diretor da escavação, Hamoudi Jalaily, diz na nota que "os crânios estão esculpidos, fenômeno que é identificado com a Nova Idade da Pedra. A prática inclui a reconstrução de traços faciais do morto esculpidos com vários materiais, como uma argamassa especial".

"Nos crânios que encontramos o nariz aparece completamente reconstruído, a boca está acentuada e os olhos restaurados com três conchas colocadas em cada uma das órbitas, enquanto os outros traços faciais são recompostos com uma máscara de argamassa", acrescenta.

"Os crânios modelados são a imagem do morto que ficava na consciência das outras pessoas e os guiavam nas decisões que tomavam no dia a dia", explica Jalaily.

Os três crânios têm entre 8 mil e 9 mil anos e estavam enterrados em um fosso adjacente a um prédio público.

Segundo os especialistas, estes objetos geralmente eram colocados em casa e serviam para inspirar as jovens gerações a continuarem o caminho de seus antecessores, costume que também era comum em outros países da região como Síria, Turquia e Jordânia.

Após um período de tempo no qual o sucessor estabelecia seu status e era aceito pela sociedade, a necessidade da presença da imagem do pai diminuía e os crânios eram enterrados durante uma cerimônia em um fosso diferente do qual estavam os outros ossos do morto. EFE aca/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG