Arqueólogos acham múmia com mais de 2.600 anos no Egito

CAIRO ¿ Uma equipe de arqueólogos egípcios abriu hoje um sarcófago, que permaneceu fechado por mais de 2.600 anos, e encontraram dentro uma múmia em perfeito estado de conservação em Saqara, 40 quilômetros ao sul do Cairo.

EFE |

O Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias (CSA) informou hoje em comunicado que seu secretário-geral, o arqueólogo Zahi Hawas, liderou a expedição que encontrou a múmia, que pertencia à 26ª Dinastia, que reinou por volta dos anos 500 a.C.

O especialista não descartou que na mortalha sejam encontrados amuletos de ouro, porque nesse período as múmias costumavam ser enterradas com até 100 talismãs, a maioria feita com o material.

O sarcófago se encontra em uma câmara mortuária escavada a 11 metros da superfície, e, no local, também foram encontradas 30 múmias, cuja descoberta foi anunciada há dois dias.

Na Câmara, os especialistas encontraram o sarcófago, que estava selado e cujo conteúdo era desconhecido, além de um ataúde de madeira, que já foi aberto, e que continha inscrições hieróglifas e uma múmia.

Ainda falta abrir outro féretro de madeira, cuja tampa se encontra em péssimo estado de conservação.

Em Saqara, a antiga Mênfis, cuja área monumental cobre uma extensão de sete quilômetros quadrados, ficou a necrópoles dos primeiros faraós, por isso o recinto possui as tumbas mais antigas do Egito.

    Leia tudo sobre: arqueologia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG