Armênia diz que Jolie e Pitt não terão privilégios para adotar

Yerevan, 26 mai (EFE).- O Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais da Armênia afirmou hoje que os atores Angelina Jolie e Brad Pitt, que recentemente expressaram sua intenção de adotar a uma criança armênia, não receberão nenhum tratamento privilegiado.

EFE |

O casal terá que passar por todos os procedimentos legais exigidos se quiser adotar, ressaltou Lena Airapetian, responsável do Departamento de Menores dessa pasta.

Assim, o casal de atores, que tem três filhos naturais e três adotados, deverá informar todos seus dados biográficos, apresentar a renda anual, garantias de que poderão assumir a criança e os correspondentes certificados de antecedentes penais, além de outros documentos.

Lena, citada pelo jornal digital "Panorama.am", disse que, "se tudo estiver em ordem, a adoção pode ser efetivada em um mês".

Jolie e Pitt "me inspiram uma grande confiança, já que ouvi que cuidam muito bem de seus filhos adotados", acrescentou.

No entanto, explicou que o casal ainda não apresentou uma solicitação oficial às autoridades competentes nesse assunto.

"A comissão para a adoção não discutiu nada parecido. Se tivesse discutido, teríamos constância disso", afirmou.

Segundo a imprensa americana, o casal de atores, que já teria viajado à Armênia, decidiu adotar uma criança desse país, já que o processo de adoção, segundo o casal de atores, não tem tanta burocracia. EFE at-egw/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG