Área é desmatada para construção de prédio no Guarujá

Uma área de cerca de 2,2 mil metros quadrados de vegetação nativa da Mata Atlântica foi devastada na semana passada pelo Grupo Camargo Correia no Guarujá, na Baixada Santista. A denúncia partiu da prefeitura municipal, que oficializará o Ministério Público do ocorrido assim que consolidar as informações do desmatamento.

Agência Estado |

Localizada na encosta do morro do Tegereba, na praia da Enseada, a área possui um projeto da Camargo Correia Desenvolvimento Imobiliário (CCDI) para a construção de dois edifícios com mais de 20 andares. Entretanto, a prefeitura alega que uma decisão judicial impediu a continuidade da obra.

Expedida em 11 de maio pelo juiz da 4ª Vara Cível de Guarujá, Fábio Francisco Taborda, a sentença proibiu a Prefeitura de conceder novos alvarás para construção de edifícios com mais de 20 andares no bairro e impediu o início de novas obras, sem atender apenas ao pedido do MP de que os oito edifícios que estavam sendo erguidos nessas condições fossem demolidos.

Secretário Municipal do Meio Ambiente, Élio Lopes, e técnicos da prefeitura estão fazendo levantamentos para constatar quantas e quais árvores foram cortadas. "Toda a documentação e vai ser levada a juízo. Vamos exigir que para cada espécie nativa suprimida a empresa plante outras 25", disse.

Em nota, a CCDI informou que "A preparação do terreno está sendo feita mediante as devidas autorizações dos órgãos competentes. A vegetação suprimida terá a devida compensação ambiental conforme o projeto aprovado".
No entanto, Lopes afirma que todas as licenças ambientais foram suprimidas com a decisão judicial.

"No entender da construtora, o corte de vegetação não significa que vão dar início às obras, no nosso entender é. Imagina se eles perdem e fica sem poder construir nada ali. Como fica a vegetação toda cortada?", questiona o secretário, completando ainda que o local é uma encosta com 45 graus, o que o torna Área de Preservação Permanente (APP), proibindo assim outros tipos de construção.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG