Aracruz: lucro no 2º trimestre sobe 127,2%

A Aracruz, que atua no setor de celulose e papel, registrou lucro líquido de R$ 595,5 milhões no segundo trimestre de 2009, o que representa um aumento de 127,2% em relação aos R$ 262,1 milhões do mesmo período de 2008. A receita líquida da empresa somou R$ 780,4 milhões, com queda de 12%, e o Ebitda (sigla em inglês para Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) ajustado (incluindo a participação da Aracruz na Veracel Celulose) recuou 42%, para R$ 205,9 milhões.

Agência Estado |

A margem Ebitda passou de 40% para 26% e a receita financeira líquida (inclui resultado de variações monetárias e cambiais) subiu 269,86%, para R$ 894,7 milhões. A dívida total (incluindo a Veracel) aumentou 163%, para R$ 8,157 bilhões.

A valorização do real frente ao dólar durante o segundo trimestre de 2009 foi a principal razão para a Aracruz voltar a registrar lucro trimestral, após anunciar prejuízos líquidos de R$ 1,7 milhão no primeiro trimestre de 2009 e de R$ 2,981 bilhões no quarto trimestre de 2008. O resultado positivo no período, segundo a própria empresa, foi beneficiado pelos ganhos financeiros, que atingiram R$ 894,7 milhões no trimestre. A receita financeira no período foi 269,86% superior ao resultado do segundo trimestre de 2008, quando a receita financeira atingiu R$ 241,9 milhões. No primeiro trimestre de 2009 a companhia havia registrado despesa financeira de R$ 50,3 milhões.

O câmbio também ajudou a reduzir o endividamento bruto da companhia (incluindo a Veracel), que caiu de R$ 9,498 bilhões ao final do primeiro trimestre de 2009 para R$ 8,157 bilhões no segundo trimestre. A participação da dívida em moeda estrangeira, que era de 73% em março, caiu para 69% em junho.

A dívida líquida da companhia, incluindo a participação na Veracel, caiu de R$ 8,597 bilhões em março para R$ 7,543 bilhões em junho. No período, o montante mantido pela Aracruz em caixa, em aplicações financeiras e em investimentos teve retração de R$ 900,8 milhões para R$ 613,6 milhões, o que representa uma baixa de 31,9%.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG