Aracruz corrige: Via Campesina danificou celulose no ES

A Aracruz corrigiu informação divulgada anteriormente e afirmou que a capacidade de embarque anual de celulose do Portocel é de 7,5 milhões de toneladas do insumo, e não 4,5 milhões de toneladas do insumo, como divulgado anteriormente pela empresa. Segue a matéria com a informação correta: São Paulo, 9 - A invasão de militantes do movimento Via Campesina no Portocel, no Espírito Santo, resultou em danos a cerca de 2 mil toneladas de celulose, informou hoje a Aracruz.

Agência Estado |

De acordo com a empresa, aproximadamente 450 mulheres ocuparam o local e utilizaram, durante pouco mais de uma hora, tinta, querosene e cupins para danificar o material encontrado no terminal. Por questões de segurança, explica a Aracruz, a operação do porto foi suspensa e ficou paralisada por quase cinco horas.

A invasão ao local aconteceu por volta das 5 horas da manhã de hoje. "Nosso porto foi usado como instrumento para protesto contra o agronegócio e o sistema econômico. É uma agressão que não tem justificativa, que busca atingir as exportações do País, justamente num setor em que o Brasil é altamente competitivo. A empresa espera que fatos como este não permaneçam impunes", destacou o diretor superintendente do Portocel, Gilberto Marques, em comunicado.

O Portocel, terminal privativo que tem como sócios Aracruz e Cenibra, tem capacidade para embarcar anualmente 7,5 milhões de toneladas de celulose. No momento da invasão, o local operava a plena capacidade, com três navios atracados, uma composição ferroviária, uma barcaça de madeira e cerca de 40 caminhões de celulose, informa a Aracruz. Além das produções de Aracruz e Cenibra, o local também é utilizado na exportação de celulose da Suzano Papel e Celulose e da Veracel (BA), uma joint venture entre a Aracruz e a sueco-finlandesa Stora Enso.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) informou que cerca de 2 mil mulheres da Via Campesina ocuparam terras da Votorantim Celulose e Papel (VCP) no Rio Grande do Sul e o Portocel, terminal portuário localizado no Espírito Santo e controlado pela Aracruz. O movimento, ainda segundo o MST, faz parte das atividades da Via Campesina relacionadas ao 8 de março, o Dia da Mulher.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG