Aquisições no Brasil colaboram para lucro do Santander

O Banco Santander divulgou resultado melhor do que o esperado, com seu lucro beneficiado por forte aumento no ganho com empréstimos, que minimizou uma elevação das obrigações para perdas com empréstimos. O banco afirmou ainda que as recentes aquisições realizadas no Brasil e no Reino Unido contribuíram positivamente para o lucro.

Agência Estado |

O maior banco espanhol em ativos obteve lucro líquido de 2,42 bilhões de euros (US$ 3,42 bilhões) no segundo trimestre, 4% abaixo do mesmo período do ano passado, quando ganhou 2,52 bilhões de euros. O lucro é o segundo maior trimestral na história do banco.

Embora a queda tenha sido causada por aumento em suas provisões, o bom desempenho na Europa mais do que compensou resultados piores em algumas de suas praças na América Latina, permitindo ao Santander superar as expectativas dos analistas de lucro de 2,18 bilhões de euros (US$ 3,08 bilhões). O principal fator de sustentação de seu lucro no segundo trimestre foi uma alta de 26% em seu ganho líquido com juro para 6,62 bilhões de euros (US$ 9,36 bilhões) no segundo trimestre, também acima das expectativas de 6,56 bilhões de euros (US$ 9,28 bilhões).

O Santander também afirmou que seu resultado teve contribuição de ganhos a partir de aquisições recentes no Reino Unido e no Brasil, enquanto sua unidade norte-americana continuou a pesar, com um prejuízo de 26 milhões de euros (US$ 36,77 bilhões) no trimestre. Assim como em muitos bancos, a inadimplência com empréstimos cresceu para 2,82% em junho, de 1,43% no mesmo período do ano passado. O banco afirmou que destacou 4,63 bilhões de euros (US$ 6,55 bilhões) para cobrir empréstimos duvidosos, aumento de 60% no ano. Um total de 21,5 bilhões de euros (US$ 30,40 bilhões) da carteira de empréstimos do Santander estava com mais de 90 dias de atraso até o final do segundo trimestre.

No primeiro semestre, o lucro líquido do Santander caiu 4,5% para 4,52 bilhões de euros (US$ 6,39 bilhões). O lucro por ação atingiu 0,5318 euro, 20% abaixo do mesmo período do ano passado. O Santander registrou fraco resultado na América Latina, onde a desvalorização de algumas moedas locais ante o euro pesou no desempenho de alguns países. O lucro da região no primeiro semestre cedeu 3,9% para 1,81 bilhão de euros (US$ 2,56 bilhões), com o México apresentando o pior resultado, uma queda de 37% em seu lucro.

Na Europa, entretanto, o lucro subiu 13,4% no primeiro semestre, para 2,66 bilhões de euros (US$ 3,76 bilhões). O lucro com as operações britânicas subiu 41%, para 885 milhões de euros (US$ 1,25 bilhão). As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG