Apreço por aposentados cresce na eleição, diz Lula

Para petista, "somente quando o processo tramitar nas duas Casas e houver resultado final é que cabe ao presidente tomar decisão"

Reuters |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira que vai aguardar a tramitação no Congresso do reajuste de 7,7 % para os aposentados que recebem mais que um mínimo para só depois tomar uma decisão. Irônico, disse ainda que o apreço pelos aposentados cresce durante as eleições.

"O que temos que respeitar é que o Congresso Nacional tem sua autonomia, o Poder Executivo tem sua autonomia e somente quando o processo tramitar nas duas Casas e houver um resultado final é que cabe ao presidente tomar uma decisão. Enquanto isso vamos esperar", disse Lula a jornalistas.

Na terça-feira, a Câmara aprovou reajuste de 7,7 por cento aos aposentados que recebem mais que um salário mínimo, acima da proposta do governo de 6,14 por cento, enviada ao Congresso em medida provisória. Agora segue ao Senado.

"Todo mundo tem apreço pelos aposentados e em ano eleitoral aumenta o apreço de forma extraordinária", afirmou.

O presidente reafirmou que o índice de 6,14 por cento é fruto de acordo com as centrais sindicais e não informou o valor do impacto da medida nas contas da Previdência Social, mas disse que é preciso haver "compatibilidade entre a necessidade do reajuste e a receita que nós temos".

Ele disse que não há necessidade de um reajuste maior que o proposto.

"Não vejo nenhuma necessidade para nesse momento excepcional que o Brasil está vivendo a gente fazer qualquer espécie de loucura em qualquer área para que a gente atrapalhe um novo ciclo de desenvolvimento do país", disse.

    Leia tudo sobre: aposentadoriaLulareajuste

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG