Aposentado baleado em banco de SP tem morte cerebral

Família estuda entrar com uma ação na Justiça contra o banco e contra o segurança, por racismo

iG São Paulo |

O aposentado Domingos Conceição dos Santos, baleado na cabeça após uma discussão com um vigia de uma agência bancária na zona leste de São Paulo, teve morte cerebral confirmada nesta terça-feira, segundo informações do boletim médico do Hospital São Camilo, onde ele estava internado desde a quinta-feira.

Na tarde de segunda-feira foi realizado o protocolo para constatação de morte encefálica do paciente, após o período de 72 horas necessário à metabolização das drogas neurodepressoras. 

Domingos foi baleado por Pedro Gonçalves Almeida, segurança da agência São Miguel Paulista-USP do Bradesco, após ser barrado na porta giratória por causa de seu marca-passo. Os dois discutiram e Almeida disparou contra o aposentado. O segurança foi preso em flagrante e, em depoimento à polícia, disse que acreditou que Domingos estivesse armado. A família estuda entrar com uma ação na Justiça contra o banco e contra o segurança, por racismo. 

Em nota, o Bradesco lamentou o ocorrido e afirmou que "colocou à disposição uma assistente social, que vai permanecer ao lado da família para prestar apoio e solidariedade nesse momento difícil". Segundo a assessoria do hospital, ainda não há informação se a família fará a doação dos órgãos de Domingos.

Segurança particular

Hoje, o Brasil tem aproximadamente 120 mil vigilantes em 370 empresas de segurança legalizadas no Estado de São Paulo. De acordo com dados da Coordenação de Controle da Segurança Privada da Polícia Federal, o país possui atualmente cerca de 5% de vigilantes privados a mais do que policiais militares.

Estimativa do Ministério da Justiça revela que há 431.600 vigias em atividade, 100 mil só no Estado de São Paulo, ou seja, 19.700 a mais do que os 411.900 PMs. O contingente das Forças Armadas, de 320.400 homens é superado, por sua vez, em 35%.

O Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Segurança Eletrônica, Serviços de Escolta e Cursos de Formação do Estado de S. Paulo (Sesvesp) também não quis comentar sobre o curso de formação para os seguranças.

(*com informações da Agência Estado)

    Leia tudo sobre: morte cerebralaposentadobanco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG