Zona do Crime mostra os dois lados da violência urbana - Brasil - iG" /

Zona do Crime mostra os dois lados da violência urbana

Laura Santullo, mulher do diretor Rodrigo Plá, escreveu La Zona como um conto futurista, uma espécie de antevisão do futuro, na qual a exclusão social seria levada ao limite e os cidadãos, abandonados pelo Estado, se organizariam em comunidades fechadas. A surpresa, admite o cineasta, foi constatar que o futuro já havia chegado.

Agência Estado |

Quando Laura e ele começaram a pensar em 'La Zona', descobriram que na Cidade do México já havia condomínios como os que o texto focaliza. Com o título de 'Zona do Crime', o filme está em exibição desde quarta-feira nas salas de cinema de São Paulo.

Rodrigo conversa por telefone com o repórter Luiz Carlos Merten, do jornal O Estado de S. Paulo . Está em Montevidéu, Uruguai. Na verdade, sou daqui, embora tenha vivido desde os 14 anos na Cidade do México. Viemos, Laura e eu com nossos filhos, para ficar aqui por um ano. O projeto é fazer nosso filme uruguaio. O cineasta ficou famoso quando seu primeiro curta, 'Ojo em la Nuca', produzido por Gael García Bernal, ganhou o Oscar, uma categoria especial para estudantes de cinema. Vieram depois 'La Zona - Zona do Crime'; e 'Desierto Adrento', que vai encerrar a semana da crítica no Festival de Cannes. E haverá em seguida o filme uruguaio.

'Zona do Crime' conta a história desse condomínio fechado, junto a uma favela. O conjunto é protegido por rígido dispositivo de segurança, mas há uma pane e três garotos aproveitam a queda do sistema para pular o muro e roubar. Eles matam uma mulher idosa e os moradores, revoltados, resolvem dispensar a polícia, fazendo justiça por conta própria. O que tentamos fazer foi um thriller social que pudesse ser desfrutado como filme de suspense, explica o diretor. No limite, nosso objetivo é provocar, para que o espectador pense. Um problema muito grave nas sociedades atuais, tanto no México como no Brasil (presumo), é a ausência do Estado na salvaguarda dos direitos individuais. Não estou pensando só nos ricos, que querem segurança, mas também nos pobres, que precisam sair da situação miserável em que vivem.

Numa cena decisiva, um dos personagens do mundo de dentro explica por que resolveu entrar para o condomínio. Seu irmão foi morto, ele recorreu à polícia e, em vez de proteção ou Justiça, passou a ser perseguido pelos criminosos. A corrupção policial também é um tema presente em 'Zona do Crime'. Rodrigo Plá e sua mulher criaram um filme de muitas vozes. Quiseram expor as motivações dos personagens de ambos os lados do muro. Quisemos fugir ao maniqueísmo, até porque ambos os lados não deixam de ter razão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

Zona do Crime (La Zona, México/2007, 97 min.). Dir e roteiro. Rodrigo Plá. Com Daniel Gimenez Cácho, Maribel Verdú e Daniel Tovar. Em cartaz desde ontem.

    Leia tudo sobre: filme

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG