O ator George Takei, que interpretou Sulu na série de TV Jornada nas estrelas (Star Trek) conseguiu, nesta terça-feira, licença para se casar em setembro com seu companheiro, com o qual já vive há 21 anos, com direito a uma lua-de-mel em Machu Pichu, Buenos Aires e Iguaçu.

"Iremos para a América do Sul - Buenos Aires, as cataratas do Iguaçu, Lima, Cuzco e Machu Pichu, um lugar histórico aonde meus pais foram, e era meu sonho ir lá algum dia", disse o ator, de 71 anos, acompanhado do noivo, Brad Altman.

Hoje, os dois foram o primeiro casal a receber a certidão de casamento em West Hollywood, território gay de Los Angeles.

Mais de 100 casais homossexuais fizeram uma longa fila desde a noite passada para serem os primeiros, neste recanto da comunidade gay entre Beverly Hills e Hollywood (noroeste de Los Angeles), a obter o documento oficial que lhes permitirá celebrar seu casamento sob a aprovação da Suprema Corte da Califórnia.

"Sem dúvida, este é um dia histórico e extraordinário para a igualdade da nossa comunidade com o restante da sociedade", afirmou o ator, bastante sorridente, em espanhol.

"Falo espanhol, porque fui criado no bairro mexicano de Los Angeles, Est LA. Aprendi essa língua, porque quando era pequeno as crianças asiáticas tinham de ir para a escola com as crianças mexicanas, enquanto havia outras escolas públicas reservadas apenas para os meninos brancos americanos".

"Você vê, tenho uma história em discriminação e em muros derrubados como o que estamos derrubando hoje com o direito ao casamento com quem quisermos e quando quisermos", acrescentou.

Pouco antes, Takei, de origem coreano, havia contado à imprensa que, em sua festa de casamento, em setembro, seu colega de "Jornada", "Walter Koenig, 'Chekov', será o padrinho, Nichelle Nichols, que fazia a 'Uhura', será a madrinha, e outro amigo meu de 'Star Trek', Leonard Nimoy ('Spock'), estará entre os convidados".

Na segunda, a partir das 17h01 (21h01 de Brasília), as autoridades começaram a entregar as primeiras certidões de casamento, sobretudo em San Francisco e Los Angeles, mas somente hoje de manhã começou a entrega em massa desses documentos.

Mais de 150 casais esperavam desde cedo. Duas lésbicas, aguardando desde as 20h de segunda, lideravam a fila. Muitas usavam vestidos de noiva e os rapazes, terno.

Robin Tyler e Diane Olson, com longa trajetória como ativistas dos direitos homossexuais e demandantes no caso que levou a Suprema Corte da Califórnia a se pronunciar a favor da união gay, em 15 de maio passado, casaram-se nos arredores da corte de Beverly Hills, onde há quatro anos esse mesmo direito lhes foi negado.

Em San Francisco, o prefeito Gavin Newsom oficiava o casamento de duas verdadeiras veteranas na luta pela comunidade gay. Del Martin, de 87, e Phyllis Lyon, de 83, trocaram os votos, após 56 anos vivendo juntas.

Analistas avaliam que entre 51.000 e 102.000 casais gays que vivem na Califórnia se casarão nos próximos três anos. A expectativa é de que outros 67.500 casais de fora do estado façam o mesmo nesse período.

A Califórnia, onde vivem 37 milhões de pessoas, é o segundo estado, depois de Massachusetts, a outorgar esse direito aos homossexuais.

pb-rcw/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.