Disfarçados de limpadores de vidro, adolescentes se aproveitam do trânsito parado para assaltar motoristas nos semáforos de três cruzamentos da Avenida Rebouças e um da Teodoro Sampaio, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

Só no mês passado, foram registrados 45 casos nesses endereços, a maioria após as 20h. Em novembro de 2009, foram 38.

No cruzamento considerado mais perigoso pela Polícia Militar (PM), o da Avenida Henrique Schaumann com a Avenida Rebouças, os carros param a mais de 1 metro da faixa de pedestres para evitar abordagens. A PM admite o problema e alerta de que a chamada "gangue dos rodinhos" tem atacado pedestres também.

No ano passado, 19 pessoas foram presas acusadas de assalto usando disfarce de limpador de vidro. Na quinta-feira, Anderson Barbosa foi detido em flagrante por assaltar uma mulher. Ao ser algemado, ele tentou morder os policiais e subiu na viatura.

Houve registros de assaltos também nos cruzamentos da Avenida Henrique Schaumann com Rua Teodoro Sampaio e da Avenida Rebouças com Rua Oscar Freire e Avenida Faria Lima - ali, a polícia identificou assaltantes que se vestem de terno e gravata e caminham entre os carros para roubar.

Alvos

Motoristas desatentos e mulheres são os alvos preferenciais dos bandidos, segundo a PM. Vidros abertos, objetos de valor à mostra, joias, relógios caros e telefones celulares, além de bolsas e pastas sobre bancos ou no painel do carro são um prato cheio para as gangues. Em nota, a PM confirmou ter conhecimento sobre os roubos registrados no cruzamento das Avenidas Henrique Schaumann e Rebouças, próximo à Praça Portugal, em Pinheiros, e afirmou desenvolver ações específicas para evitar os crimes.

Segundo a polícia, o problema ocorre também em outros cruzamentos da região e é praticado, na maioria das vezes, por adolescentes que ficam nos semáforos para lavar vidros de carros e pedindo dinheiro em troca. Para a PM, quando criminosos percebem a existência de objetos de valor, ameaçam e roubam os motoristas. A ameaça é feita com facas, cacos de vidro e armas de fogo ou de brinquedo.

De acordo com a corporação, é realizada uma série de operações com a Secretaria Municipal de Assistência Social para a retirada de menores e moradores de rua. Porém, eles acabam voltando a praticar crimes na região. A PM recomenda que os motoristas não contribuam com as pessoas que pedem dinheiro na rua e afirma que reprova a ação de entidades assistenciais que distribuem materiais como rodinhos para crianças e adolescentes trabalharem nos semáforos.

Leia mais sobre a 'Gangue do rodinho'

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.