É o Rio. Eu esperava ser assaltado na praia e na rua, mas nunca na cama, dormindo, disse hoje o alemão Dani Bode, de 28 anos, uma das vítimas do arrastão ocorrido na madrugada de hoje no albergue King George, em Copacabana, na zona sul do Rio.

Pelo menos treze turistas estrangeiros - onze israelenses, um colombiano e um alemão - perderam vários pertences, entre os quais máquinas fotográficas, relógios, celulares, Ipods, mochilas e dinheiro no assalto.

O vigilante que estava de plantão contou à polícia que foi rendido por volta das 3 horas, ao abrir o portão para quatro homens que disse ter confundido com hóspedes. Segundo ele, os assaltantes estavam armados com pistolas e "aparentemente" levavam duas granadas. O albergue fica numa ladeira a menos de 100 metros de um posto do 19.º Batalhão da Polícia Militar.

Os assaltantes entraram nos quartos e acordaram os turistas para roubá-los. Eles foram trancados em um quatro e liberados somente com a chegada da PM, junto com o dono do albergue, George Schtinberg, que foi chamado pelo vigilante. Um dos turistas teria sido agredido sem gravidade. Os criminosos fugiram a pé. De acordo com o titular da Delegacia de Atendimento ao Turista, Fernando Veloso, o albergue "não adotou procedimentos básicos de segurança". Ele disse que buscará imagens gravadas de circuito interno em prédios próximos, já que a câmera do albergue já tinha sido comprada mas ainda não havia sido instalada, segundo Schtinberg.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.