Distrito 9 mostra aliens como alvo da crueldade humana - Brasil - iG" /

Distrito 9 mostra aliens como alvo da crueldade humana

Seres translúcidos com poderes paranormais, homenzinhos verdes raivosos de Marte, alienígenas camuflados de gente. No cinema, extraterrestres variaram de forma e cor, mas sua aparição sempre foi associada à destruição da humanidade.

Agência Estado |

Em "Distrito 9", porém, aliens são vítimas da desigualdade social, do abismo social, e alvo da crueldade humana.

Em seu primeiro filme, o cineasta sul-africano Neill Blomkamp tem a tutela de Peter Jackson (da trilogia "O Senhor dos Anéis") para unir ficção científica e drama ao fazer pairar uma gigantesca nave extraterrestre lotada de seres de outro planeta no céu da capital Johannesburgo.

A partir de imagens de emissoras de TV e depoimentos - um esforço notável para dar ares de documentário -, o filme relata a decisão da Agência MultiNacional Unida, uma espécie de ONU do futuro, de enviar uma expedição à nave e averiguar seus tripulantes. Um contingente de alienígenas subnutridos é trazido à Terra, e um grande acampamento, o Distrito 9, é delimitado.

Não há pretensão de estudar ou dialogar com alienígenas, que são compreendidos em seu idioma, mas vigiar e cercear. A área é cercada e fortemente militarizada, e torna-se um campo de refugiados. Avisos e restrições a humanos e não-humanos ganham a cidade. O Distrito 9 vira uma favela.

A surpresa com os seres fantásticos é logo suprimida pela realidade marginal em que as famílias se encontram, presas entre a repressão da polícia e a violência das gangues do submundo. A alternativa mais fácil é torcer por uma revolta alienígena, raios fulminantes e armas de tecnologia avançada, mas esses demoram a aparecer.

Contra a crescente repulsa dos humanos, a Agência decide remover o Distrito 9 do centro urbano e realocá-lo em uma área afastada. Quem ganha as honras de liderar o processo de locomoção é Wikus Van De Merwe (Sharlto Copley), um funcionário abobalhado que acredita que os extraterrestres não têm noções de civilidade ou sentimentos, o que é desmentido diversas vezes ao longo da trama. As informações são do Jornal da Tarde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG