Critério é técnico , afirma assessor de Arruda - Brasil - iG" /

Critério é técnico , afirma assessor de Arruda

A verba de publicidade do governo do Distrito Federal impressiona: foram mais de R$ 500 milhões despejados na área nos últimos cinco anos. Os valores dobraram em dois anos no governo de José Roberto Arruda, que deixou o DEM na quinta-feira para evitar a expulsão do partido.

Agência Estado |

Segundo dados do sistema de despesas do governo, R$ 87 milhões foram gastos em 2007. No ano passado, R$ 133 milhões, e, em 2009, a despesa já passou de R$ 160 milhões. Procurado pela reportagem, Weligton Moraes, assessor de Comunicação do governo do Distrito Federal, disse que não há orientação para as empresas de publicidade contratarem a AB Produções. "O critério utilizado por essas empresas de comunicação é de técnica e preço", disse.

Segundo ele, a AB é responsável pelo "GDF TV", programa de televisão que divulga as ações do governo de Arruda. "Não se pode discriminar uma empresa com mais de 20 anos no mercado de Brasília", disse. Na quinta-feira, a reportagem esteve na sede da AB Produções. A secretária informou que Abdon Bucar não estava no local. Um e-mail foi enviado ao empresário, que não deu resposta. O Grupo Estado procurou ainda as agências de publicidade citadas na reportagem. Perguntou à Agnelo Pacheco e à AV Comunicação, por exemplo, quais são os critérios de contratação da AB Produções.

Um dos sócios da AV, Ronald Van de Kamp informou que sua agência contrata a empresa de Abdon Bucar da mesma maneira que solicita os serviços de outras produtoras. Os critérios, disse, são de "técnica e preço". A reportagem pediu a relação de todos os serviços prestados pela AB, mas Van de Kamp não respondeu a esse pedido.

À Polícia Federal, Durval Barbosa contou que a AB Produções alugou uma chácara no Lago Sul, em Brasília, pertencente ao deputado Osório Adriano (DEM). Apelidado de "Casa dos Artistas", o imóvel transformou-se em gabinete de transição de governo após a campanha. Barbosa disse que Bucar pediu para que fosse "injetado" mais dinheiro no imóvel. "Casa esta que continha um gabinete para Arruda, composto de sala, sala de estar e quarto com cama king size", diz Barbosa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG