Cassação é perseguição política , diz Cassol, em nota - Brasil - iG" /

Cassação é perseguição política , diz Cassol, em nota

RONDÔNIA - O governador de Rondônia, Ivo Cassol, disse nesta terça-feira, em nota oficial, que é inocente no processo de cassação. Ontem, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Estado cassou o diploma de Cassol e determinou a realização de nova eleição para o cargo em 14 de dezembro deste ano.

Agência Estado |

O governador, sem partido, declarou vai recorrer às instâncias superiores e configurou a cassação como "perseguição política". Ele ainda não foi notificado pelo TRE.

Também deve perder seu posto o senador Expedito Júnior (PR) que, junto com Cassol e com os ex-candidatos a deputado Valdelise Martins dos Santos Ferreira e José Antônio Gonçalves Ferreira, foram acusados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de captação ilícita de sufrágio e abuso de poder nas eleições de 2006.

O governador também informou, na nota, que o trabalho não será interrompido com as acusações. "Aproveito para tranqüilizar a população quanto a este episódio, convocando-a a continuar trabalhando de forma ordeira e pacífica em favor do crescimento do nosso Estado, independente das mentiras e falsas acusações daqueles que buscam desestabilizar a administração estadual", disse a nota.

O presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia, deputado Neodi Carlos (PSDC), que deveria assumir o cargo, informou, por meio de assessoria de imprensa, que vai aguardar a publicação do acórdão, o fim dos prazos para os embargos e notificação do TRE.

    Leia tudo sobre: ivo cassol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG