O diretor brasileiro Heitor Dhalia apresentou na noite desta quinta-feira À Deriva, que foi aplaudido durante quase 5 minutos após ser exibido na sessão oficial Um Certo Olhar do Festival de Cinema de Cannes.

Este terceiro filme de Dhalia, após "O Cheiro do Ralo" e "Nina", conta a história de Filipa (Laura Neiva), uma jovem que passa o verão em Búzios com os pais, cujo casamento está em crise.

Felipa vive seus primeiros amores e é obrigada a amadurecer quando descobre o caso do pai (Vincent Cassel) com outra mulher (Camila Bell).

Coprodução da O2 Filmes, de Fernando Meirelles, e da Focus Features (Universal). "À Deriva" tem uma bela fotografia, que dá um toque nostálgico ao filme, como se a história fosse contada muitos anos depois, mas sem recorrer ao flashback.

O filme traz outra boa atuação de Deborah Bloch e lança Laura Neiva, de apenas 14 anos. A americana Belle, hoje com 22 anos, faz apenas um papel secundário.

Heitor Dhalia dedicou a única sessão de "À Deriva", exibido na sala Debussy do Palácio e às 22H30 local, à jovem Laura Neiva.

O francês Vincent Cassel falou em português, e com muito bom humor, para destacar a atual efervescência do cinema brasileiro, citando Walter Salles e outros cineastas para garantir que o "Brasil vive o melhor".

O ator, que estava radiante, chegou à sessão com a cabeça raspada porque está rodando "Os senhores", dirigido por Romain Gavras, filho de Costa Gavras.

jmr/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.