Após YouTube, canadense Justin Bieber vira sensação da música

TORONTO - Em pouco mais de dois anos, Justin Bieber, um canadense de 15 anos que acaba de lançar seu primeiro álbum - My World - entre os aplausos da crítica e a histeria das fãs, passou dos vídeos caseiros no YouTube a sensação do mundo da música.

EFE |

Tudo indica que Bieber, nascido na localidade canadense de Stratford, cerca de 150 quilômetros ao oeste de Toronto, está pronto para saltar à fama que mudará sua vida para sempre.

Bieber voltou a aparecer no influente programa da televisão da atriz e comediante Ellen Degeneres como parte da campanha de lançamento de seu primeiro álbum, que incluiu comparecimentos em outros programas de TV de grande audiência, como "Good Morning América" e "The Today Show".

Enquanto isso, a MTV prevê para o jovem uma carreira cheia de sucessos, graças a seu "poço não explorado de talento artístico natural". A crítica considera que "My World" é um álbum "que cumpre sua promessa: a única coisa que poderíamos pedir é mais", escreveu o crítico de música do jornal canadense "Toronto Star".

Bieber, que a fonográfica Island Def Jam coloca no mercado para os pré-adolescentes de 10 a 14 anos de idade, jura que nunca esteve interessado na fama.

"Nunca fui o tipo de menino que pensava: 'quero ser famoso'", disse Bieber, em recente entrevista ao jornal canadense "Toronto Sun", enquanto centenas de meninas e adolescentes em um ataque de histeria coletiva o obrigavam a se esconder em um centro comercial de Toronto.

Não deixa de ser uma declaração curiosa, levando em conta que a mãe de Bieber começou a colocar no YouTube vídeos do jovem cantando desde que ele tinha 13 anos. O fato é que as atuações no YouTube começaram a ser acompanhadas por mais e mais fãs, o que atraiu a atenção da indústria fonográfica.

Após vários "hits" em sua página no YouTube, o promotor musical americano Scooter Braun - o mesmo que lançou ao estrelato o rapper Asher Roth - percebeu o talento artístico de Bieber e seu potencial comercial.

Braun entrou em contato com a promessa musical e convenceu o jovem e a mãe a ir a Atlanta, a base do promotor, para poder desenvolver a carreira artística do jovem.

O mais marcante na história da descoberta de Bieber foi a disputa que os cantores - e produtores fonográficos - Usher e Justin Timberlake para apadrinhar o cantor canadense, que acabou com vitória do primeiro.

Bieber teve postura diplomática quando o "Toronto Sun" perguntou pelas circunstâncias dessa disputa comercial entre estrelas consagradas do mundo da música.

"Estávamos indo ao estúdio de Jermaine Dupri quando Usher chegou ao mesmo tempo. Foi isso que aconteceu sobre Usher. Mas também tive uma reunião com Justin Timberlake. Cantar para qualquer dos selos fonográficos era algo certo. Os dois foram grandes caras", disse.

Para Usher, de 31 anos, foi a "magia" de Bieber que o fez lutar pelo jovem canadense.

"Não sabia em que se transformaria, mas sabia que eu queria estar envolvido. E, quando finalmente o ouvi cantar, soube que era um menino que vai chegar muito longe", disse Usher ao programa de televisão "Good Morning America Weekend".

A verdade é que o início de Bieber também foi bem diferente.

Antes do álbum, Bieber lançou quatro singles e todos ficaram entre os 40 primeiros da lista Billboard Hot 100's, algo que ninguém tinha conseguido até agora.

A prova de fogo para Bieber é ver se conseguirá concorrer com outros ídolos musicais "teens", como Miley Cyrus e os meninos do Jonas Brothers.

Cyrus conseguiu vender no mundo todo 4 milhões de cópias de seu primeiro álbum. O Jonas Brothers vendeu 8 milhões de cópias de seus três primeiros álbuns.

Por enquanto, Bieber conseguiu ser o que atraiu mais público à praça Rockefeller, em Nova York, onde se apresentou para o programa "The Today Show", em 12 de outubro. Segundo a "NBC", o canadense reuniu mais de 2 mil pessoas, mais gente que Cyrus atraiu no mesmo lugar.

    Leia tudo sobre: música

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG