Após ser repreendido por Lula, Minc baixa críticas

Depois de criticar a ¿algazarra¿ na Esplanada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enquadrou o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que estava, até ontem, em duas frentes de batalha: contra o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, por causa da pressão pelo licenciamento das obras da BR-319, que liga Manaus a Porto Velho; e contra os ruralistas, aos quais se referiu como ¿vigaristas¿ na semana passada. Em plena cerimônia de balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que possui várias obras criticadas por ambientalistas, Minc disse ontem que, embora seja contrário à concessão da licença para a rodovia, quem manda no governo não é ele, ¿é o presidente Lula, e o presidente quer a licença¿.

Agência Estado |

Mas Minc voltou a insistir que, para dar a licença, exige o cumprimento de uma lista de condições, como a construção de postos de vigilância e unidades de conservação.

Diante da posição do colega, o ministro Nascimento até marcou data para a licença: dia 15 deste mês. Minc afirmou que não se importa com datas, mas com as exigências ambientais, e que, se estas forem cumpridas, não tem nenhum problema em conceder a licença daqui a 11 dias.

Na semana passada, Minc se queixou ao presidente Lula dos ministros Alfredo Nascimento, Reinhold Stephanes (Agricultura) e Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos). Minc disse que eles combinavam uma coisa no governo e depois pegavam a machadinha e iam ao Congresso atacar a legislação ambiental. Ao falar com o jornal "O Estado de S. Paulo", o ministro se referiu ao governo como casa da mãe Joana, tantas as divergências.

Leia mais sobre: Minc

    Leia tudo sobre: carlos minc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG