Após reuniões com Petrobras, petroleiros mantêm greve no dia 23

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os petroleiros não chegaram a um acordo com a Petrobras e informaram nesta quinta-feira que vão manter a greve de cinco dias a partir do dia 23, com parada de produção. De acordo com a Federação Única dos Petroleiros (Fup), a Petrobras não fez proposta para as principais reivindicações da categoria, sobre a manutenção dos empregos nas empresas que prestam serviços à estatal e em relação à segurança no trabalho.

Reuters |

Segundo a assessoria da Fup, a Petrobras discutiu apenas em reuniões realizadas esta semana a reivindicação de aumento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da companhia.

"O objetivo é parar a produção para poder ter impacto na Petrobras", informou a assessoria da Fup.

No ano passado, uma greve conseguiu reduzir em mais de 100 mil barris a produção diária da empresa, mas um plano de contingência foi acionado e normalizou a produção no mesmo dia.

A Petrobras disse que continua disposta a conversar sobre as demandas dos trabalhadores e confirmou o fracasso da reunião realizada com os petroleiros.

"Ainda pode haver negociação, a Petrobras está aberta a negociar", disse a assesoria da estatal.

A Fup no entanto descartou um novo encontro antes da greve e informou que só negocia depois de iniciada a paralisação.

No dia 8 de abril, uma assembléia de acionistas da Petrobras vai definir o percentual do PLR deste ano. Em 2008, os empregados receberam 14 por cento do lucro recorde de 2007, segundo a Petrobras, e 11 por cento do lucro, segundo a Fup.

(Por Denise Luna)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG