Após ofensas racistas, Juventus jogará com portões fechados

Por Mark Meadows MILÃO (Reuters) - A Juventus disputará uma partida em casa com seu estádio fechado após torcedores terem insultado o atacante Mario Balotelli, da Inter de Milão, durante o empate de 1 x 1 no sábado, informou a liga italiana nesta segunda-feira.

Reuters |

O jogador, de 18 anos, marcou pela Inter e foi alvo de cantos como "um italiano negro não existe" de partes da torcida da Juventus em Torino.

Balotelli, integrante da seleção sub 21-italiana, nasceu em Palermo mas tem origem ganense.

"O tribunal esportivo... considerou que durante o jogo e em várias ocasiões, fãs do time da casa, em várias partes do estádio, cantaram músicas que incluíam discriminação racial", disse um comunicado da liga.

"Por esta razão, a Juventus será obrigada a disputar um jogo com as portas fechadas".

Abusos racistas não são incomuns no futebol italiano e pequenas multas são geralmente aplicadas. No entanto, a gravidade dos incidentes de sábado forçaram as autoridades a aplicar um punição mais severa à Juventus.

O comunicado, em conjunto com a federação italiana de futebol, acrescentou que o incidente foi lamentável e não poderia ser justificado como entusiasmo com o jogo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG