RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo brasileiro, que cedeu helicópteros e tripulações militares para a libertação de seis reféns das Farc na Colômbia, colocou-se à disposição nesta quinta-feira para apoiar outras ações humanitárias. O que nós oferecemos e continuaremos oferecendo nessas ações humanitárias é a infraestrutura de logística que nós dispomos. O Brasil tem expertise e aparelhos capazes para atuar nos Andes, declarou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, no Rio de Janeiro.

"Cada coisa no seu tempo, mas o Brasil está sempre disponível a ajudar os vizinhos e a Cruz Vermelha", acrescentou ele.

Nos últimos cinco dias, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertaram seis reféns na selva do país. Helicópteros brasileiros ajudaram no transporte dos libertados, entre eles o ex-governador Alan Jara e o ex-deputado regional Sigifredo López, este último solto nesta quinta-feira.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores disse que prestou apoio na Colômbia a pedido do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e com a anuência do governo da Colômbia.

"O governo brasileiro transmite aos recém-libertados os mais calorosos cumprimentos neste momento de reconquista da liberdade e de reencontro com seus familiares", informa a nota do Itamaraty.

Segundo o comunicado, "o ministro das Relações Exteriores da Colômbia, Jaime Bermúdez, telefonou hoje ao ministro Celso Amorim para agradecer, em nome do governo colombiano, a ajuda prestada pelo Brasil nas operações de libertação dos reféns".

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.