Tamanho do texto

WASHINGTON, 6 AGO (ANSA) - A atriz norte-americana Scarlett Johansson se diz realmente constrangida com a atenção desproporcional que a imprensa deu à sua troca de e-mail com o candidato democrático à presidência dos Estados Unidos Barack Obama.

Scarlett classificou a situação como uma "fofoca machista", criticando algumas publicações que trataram o caso como se existisse realmente uma relação. 

Nestes últimos dias, a atriz está em Los Angeles, na Califórnia, para promover o "Vicky Cristina Barcelona", o novo filme de Woody Allen, do qual é protagonista.

Em entrevista coletiva, a atriz se defendeu. "Toda essa situação me parece fruto de uma grande fofoca. Se no meu lugar estivesse George Clooney ou qualquer outro apoiando Obama, alguém teria comentado alguma coisa? Essa história foi inventada".

Os comentários tiveram início quando Scarlett Johansson, no mês de junho, comentou com um jornalista do portal Politico.com que ela e o candidato democrático haviam trocado alguns e-mails sobre campanha eleitoral.

Depois de alguns dias, a notícia já circulava na imprensa norte-americana. Obama, no entanto, declarou que a atriz não tem seu endereço de e-mail pessoal, e que foi seu assistente quem respondeu às mensagens enviadas por ela. (ANSA)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.