Após deixar o governo de Minas para disputar a eleição em outubro, o governador Aécio Neves (PSDB) pretende submergir por um mês antes de retomar a atividade pública. O governador passará o cargo para o vice, Antônio Anastasia - pré-candidato do PSDB ao governo do Estado -, no fim deste mês.

E, somente no início de maio, pretende retomar as articulações políticas para fazer seu sucessor. "Eu pretendo submergir pelo menos esses 30 primeiros dias", disse.

Após uma reunião com seu secretariado na Cidade Administrativa, Aécio também afirmou hoje que, no plano nacional, estará "absolutamente à disposição" para a campanha do virtual presidenciável tucano, o governador de São Paulo, José Serra. "No momento em que ele construir a sua estratégia, o que só ocorrerá no momento após o anúncio da sua candidatura, certamente eu pretendo ser o primeiro dos soldados perfilados ao lado do governador José Serra para disputarmos e vencermos essas eleições", disse.

Ele também repetiu que não acredita na hipótese de o paulista desistir futuramente da candidatura presidencial. Para Aécio, "não há qualquer possibilidade de alteração do quadro atual do PSDB" e a estratégia de Serra deve ser respeitada. "Essa outra possibilidade (de ele assumir o posto de presidenciável) aventada por alguns, simplesmente não existe", disse.

Sobre a campanha presidencial, lembrou que terá uma "disponibilidade maior". "Caberá ao governador (Serra) dizer, e já disse isso a ele pessoalmente, aonde acha que a minha presença será útil: seja em conversas na construção da articulação da campanha, no projeto e no programa que ele conduzirá e mesmo com minha presença em eventuais eventos onde ela seja positiva", afirmou.

"Estarei integralmente à disposição dele. Em primeiro lugar, em Minas Gerais, onde nós vamos buscar levar as suas propostas e o seu projeto. Mas quando ele achar necessário, também estou à sua disposição para ir a outros Estados da Federação".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.