Após decisão da Justiça, o transporte coletivo na Grande Belo Horizonte funciona normalmente na manhã desta terça-feira. Em assembleia, os rodoviários decidiram suspender temporariamente a paralisação, mas informaram que aguardam uma nova convocação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e o pedido de reajuste de 12% prevalece.

AE
Ônibus voltam a circular na Grande Belo Horizonte

Ônibus voltam a circular na Grande Belo Horizonte

A liminar concedida pelo desembargador Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, na segunda-feira, estabeleceu uma multa de R$ 300 mil por dia caso a decisão da Justiça seja descumprida.

Tumulto e prisão

Os rodoviários, que entraram em greve e tumultuaram a capital mineira em fevereiro, cruzaram os braços novamente na segunda-feira. Dessa vez, porém, a adesão foi menor.

Com a paralisação, a Polícia Militar registrou depredação de 15 ônibus. Pelo menos, cinco pessoas foram presas. Mas, ao contrário do que ocorreu em fevereiro, não foi preciso providenciar escolta policial para garantir o trabalho dos motoristas que não aderiram à greve.

Com um número menor de ônibus em circulação, os trabalhadores tiveram dificuldade para chegar ao emprego. Houve quem gastou duas horas mais que o habitual para conseguir ir de casa ao trabalho.

Na região do Barreiro, apenas 10% das carros das 27 linhas que passam pela região estavam em operação. No São Gabriel, outro bairro prejudicado, 40% dos coletivos que circulam na região ficaram nas garagens. De acordo com informações do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte, 90% das linhas trabalharam com menos funcionários do que o normal.

O sindicato dos taxistas de Belo Horizonte informou que a demanda por táxis cresceu 35% na comparação com a média de movimento das segundas-feiras.

(*com informações da Agência Estado)

Leia mais sobre greve em Belo Horizonte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.