final de semana de terror, onde pelo menos 16 pessoas morreram, sendo 2 policiais, policiais deflagraram, nesta segunda-feira, duas operações em favelas da cidade do Rio de Janeiro." / final de semana de terror, onde pelo menos 16 pessoas morreram, sendo 2 policiais, policiais deflagraram, nesta segunda-feira, duas operações em favelas da cidade do Rio de Janeiro." /

Após confrontos, polícia reforça policiamento e faz mais duas operações em favelas do Rio

RIO DE JANEIRO - Depois de um http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/10/17/confronto+deixa+mortos+e+feridos+na+zona+norte+do+rio+de+janeiro+8859915.html target=_topfinal de semana de terror, onde pelo menos 16 pessoas morreram, sendo 2 policiais, policiais deflagraram, nesta segunda-feira, duas operações em favelas da cidade do Rio de Janeiro.

Redação com Agência Estado |

    AP
    Polícia reforça policiamento no Rio de Janeiro nesta segunda-feira

    Polícia reforça policiamento no Rio de Janeiro nesta segunda-feira

    Na Favela de Manguinhos, uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) provocou tensão entre os motoristas que trafegam pela Avenida Bulhões de Carvalho, no trecho conhecido como "Faixa de Gaza".

    No Jacarezinho, policiais do 16º Batalhão de Polícia Militar (PM) realizam uma operação junto ao 3º Batalhão e à Companhia de Cães. 

    Um dos objetivos das duas incursões seria a captura de Fabiano Atanázio, o FB, chefe do tráfico na Vila Cruzeiro, na Penha, que teria liderado a tentativa de invasão ao Morro dos Macacos, na madrugada de sábado.

    Além disso, a polícia ocupa também os morros Quieto, Matriz e São João com o objetivo de evitar a fuga de criminosos que poderiam estar no interior dessas comunidades. A operação não tem previsão de término.

    A situação, porém, segue mais tranquila nesta segunda-feira e, segundo a polícia, não foram registrados novos confrontos.

    Veja o local dos confrontos no mapa (clique para ampliar)

    Início dos confrontos

    A onda de violência no Rio de Janeiro teve início quando traficantes do Complexo do Alemão e do Jacarezinho invadiram o Morro dos Macacos, por meio do Morro São João, por volta das 3h da de sábado. Assim, começou uma guerra pela disputa de pontos de venda de drogas no Morro dos Macacos.

    Uma operação policial, com 120 homens, começou na favela para pôr fim à violência. Porém, um helicóptero da Polícia Militar que dava cobertura a ação foi abatido a tiros por criminosos.

    Ao ser atingida, a aeronave explodiu causando a morte dos policiais Marcos Macedo e Edinei Canavarro de Oliveira. Também ficaram feridos três cabos, dois capitães e o major José Busnello, atirador de elite, que ganhou notoriedade depois de atingir a longa distância um assaltante de uma farmácia na Tijuca.

    Futura Press

    Helicóptero cai em campo de futebol após ser atingido por tiros

    Na noite de domingo, durante uma varredura feita por policiais militares do 3º, 6º e 14º batalhões, foram encontrados mais dois corpos , ambos do sexo masculino, ainda não identificados. Eles estavam na junção formada no topo dos morros São João e dos Macacos.

    Segundo o major Oderlei Santos, que atua no setor de Relações Públicas da Polícia Militar, ainda não se sabia se os corpos encontrados são de pessoas mortas no confronto decorrente da invasão do morro de sexta para sábado ou se são de pessoas mortas por disparos de policiais militares durante a ação da polícia.

    Na manhã de domingo, outros dois suspeitos foram mortos, conforme a polícia, durante troca de tiros com o BOPE, que realizou uma operação no Jacarezinho. Foram apreendidas duas pistolas e cerca de 250 kg de maconha.

    Ordem das cadeias

    O jornal O Globo , desta segunda-feira, traz a informação de que a ordem para a invasão do Morro dos Macacos teria partido de traficantes presos em Catanduvas, no Paraná.

    Segundo a reportagem, um dos idealizadores do ataque seria Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, e o plano teria o apoio também de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que cumpre pena na penitenciária federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

    Ônibus incendiados

    De acordo com as autoridades policiais, oito ônibus foram incendiados na zona norte do Rio de Janeiro por conta do conflito. O Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro, porém, falou em 10 ônibus incendiados nas favelas do Jacarezinho e da Mangueira, assim como no bairro do Riachuelo.

    Assista ao vídeo que mostra o enterro dos policiais:

    Leia também:


    Leia mais sobre Rio de Janeiro

      Leia tudo sobre: rio de janeiroviolência

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG