Após cinco dias de marcha, integrantes do MST chegam a São Paulo

SÃO PAULO - Após cinco dias de marcha, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) chegaram, na manhã desta segunda-feira, à cidade de São Paulo. Os sem-terra iniciaram uma caminhada na quinta-feira, em Campinas.

Redação com Agência Estado |

Cerca de 1.500 pessoas participam do protesto, segundo a coordenação do MST. Os manifestantes chegaram, por volta das 11h40, à praça localizada em frente ao estádio do Pacaembu, na zona oeste. A previsão é que eles fiquem acampados no estádio até sexta-feira.

AE
Manifestantes seguem para o Pacaembu

A manifestação tem o objetivo de chamar a atenção das autoridades para a reforma agrária. O grupo também protesta contra a exploração da classe trabalhadora, o aumento do desemprego como efeito da crise econômica mundial e a criminalização da luta social.

De acordo com Kelli Mafort, da coordenação nacional do MST, os manifestantes começaram a se mobilizar ainda na madrugada desta segunda-feira para deixar Osasco, na Grande São Paulo, onde foi realizada a quarta parada da marcha.

"Depois de caminhar 23 quilômetros de Campinas a Vinhedo na quinta, 22 quilômetros de Vinhedo a Jundiaí na sexta, e 21 quilômetros de Jundiaí a Jordanésia no sábado, instituímos um dia de descanso e os marchantes foram levados de ônibus de Jordanésia a Osasco, ontem, e até a rodovia, hoje", explicou Kelli.

De acordo com Kelli, os sem-terra ficam alojados nesta segunda-feira no estádio e definem como vão se distribuir até sexta-feira, para quando está programado um protesto com outras organizações de classe na avenida Paulista.

O protesto foi intitulado de Marcha Estadual de Campinas a São Paulo Maria Cícera Neves, após o movimento perder a agricultora Maria Cícera, de 58 anos, atropelada por um caminhão no quilômetro 79 da pista sul da rodovia Anhanguera, na chegada a Vinhedo.

AE
Integrantes do MST na rodovia Anhanguera no início da manhã

Mobilização em Brasília

Cerca de 3 mil integrantes  do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e da Via Campesina acampam, a partir desta segunda-feira, em frente ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Eles ficam reunidos até o dia 21 de agosto para discutir a questão da reforma agrária no País.

Outras mobilizações estão previstas também para os Estados do Pará, Mato Grosso do Sul e Roraima. Elas fazem parte da Jornada Nacional de Mobilização do MST e da Via Campesina, que integram 23 Estados mais o Distrito Federal.

Leia mais sobre: reforma agrária  - MST

    Leia tudo sobre: manifestaçãomstreforma agrária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG