Após chuvas, escolas de Blumenau encerram ano letivo

As escolas da rede pública municipal e estadual do município de Blumenau, em Santa Catarina, decidiram encerrar o ano letivo após as chuvas que atingiram o Estado. Todos os alunos que alcançarem média cinco, mesmo sem o fechamento do ano letivo, serão aprovados.

Agência Estado |

A determinação já oficializada através de portaria assinada pelo secretário de Educação de Blumenau, Mauricí Nascimento, e deverá ser extensiva a todos os municípios atingidos pelas enchentes em Santa Catarina. Na segunda-feira, todos os estudantes devem ir às escolas para conferir suas médias. Os que passarem serão dispensados do ano letivo. Todos os alunos da pré-escola e também do primeiro e o segundo ano do ensino fundamental já estão aprovados.

Em Blumenau, informou Nascimento, também as escolas particulares vão adotar média semelhante, inclusive a Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), a maior instituição de ensino superior na região. "Nossa decisão está preconizada na lei de diretrizes e bases", afirmou ele, acrescentando que, além da média igual ou superior a cinco, outro indicativo para passar de ano é a freqüência de pelo menos 75% nas aulas. Os que não alcançarem média vão participar de uma avaliação especial com critérios especiais determinados pela secretaria.

Em viagem pelo interior do Estado, o secretário de Educação de Santa Catarina, Paulo Bauer, deve anunciar nos próximos dias sistemática semelhante para os demais municípios atingidos. Técnicos da pasta estão estudando uma forma legal para a adoção excepcional da medida. "É uma tendência muito grande pela precariedade e a falta de condições para a continuidade das aulas, mas vai depender da questão legal", afirmou.

A média escolar em algumas escolas da região é de sete. Em outras, os estudantes são promovidos com cinco. A rede municipal de ensino de Blumenau conta com 34,2 mil alunos, sendo 23.500 matriculados no ensino fundamental e 10.700 no infantil. Das 54 escolas vinculadas à secretaria, 50% ficaram parcialmente destruídas ou estão interditadas. A outra metade está acomodando os desabrigados da enchente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG