Após chuva de granizo, São Paulo sofre com alagamentos e queda de árvores

A região metropolitana de São Paulo enfrentou nesta quinta-feira o 44º dia seguido de chuva. Houve queda de granizo em algumas regiões e o Centro de Emergência da Prefeitura (CGE) decretou estado de atenção em toda a cidade das 16h até às 19h, e estado de alerta nos bairros de Itaquera, Aricanduva e Ipiranga até às 18h45. O Aeroporto de Congonhas ficou fechado por quase 2 horas e mais de 100 árvores caíram na capital afetando o fornecimento de energia elétrica em vários bairros.

iG São Paulo |

AE
Ponto de alagamento na rua Washington Luiz, em São Caetano do Sul, no ABC
De acordo com a AES Eletropaulo, os diversos pontos de alagamento na cidade dificultaram a chegada das 1.100 equipes mobilizadas para restabelecer o serviço de energia elétrica em vários locais.

Os bairros afetados foram Itaim Bibi, Vila Clementino, Vila Mariana, Alto da Boa Vista, Morumbi, Moema e Saúde (zona sul), Perdizes, Pompeia, Sumaré e Lapa (zona oeste), Guaianases, São Mateus e Ermelino Matarazzo, Itaquera (zona leste), Tucuruvi e Santana (zona norte). 

De acordo com o CGE, as áreas de chuva que atingiram a capital paulista no período da tarde e no início da noite perderam intensidade, restando apenas nebulosidade e alguns pontos isolados de chuva leve. Na Grande São Paulo, a precipitação também já perdeu força, e há apenas registro de chuva leve em alguns municípios.

As chuvas, que atingiram inicialmente nas zonas sudeste e norte, em seguida tomando toda a região central, zona oeste e parte da zona sul. Durante boa parte do tempo, a chuva ocorreu com intensidade forte, um dos fatores que acarretaram o transbordamento do Córrego Ipiranga e do Rio Aricanduva.

Na Grande São Paulo, ainda chove forte entre Poá, Suzano e Ferraz de Vasconcelos. Às 16h, a o aeroporto de Congonhas registrou rajadas de vento de 40 km/h. Pouco depois, por volta de 16h20, foi observada queda de granizo na região do Brooklin. Às 17h, os ventos chegaram a 53 km/h no aeroporto de Guarulhos.

AE
Árvore que caiu na rua Barão de Bananal, no bairro da Pompeia, na zona oeste
Os próximos dias seguem com condições típicas de verão, ou seja, sol e calor com pancadas de chuva no final das tardes. As temperaturas devem oscilar entre mínimas de 20ºC e máximas em torno dos 33ºC. No final da semana as chuvas começam a ocorrer de forma mais isolada na capital paulista.

Estragos no Zoológico e Jd. Botânico

As chuvas causaram danos ao Parque Zoológico e ao Instituto de Botânica e Jardim Botânico de São Paulo, na região da Água Funda, na zona sul. De acordo com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, o Jardim Botânico não abrirá nesta sexta-feira.

No Zoológico foi decretado estado crítico e alguns tanques precisaram ser esvaziados, em parte para que não houvesse vazamentos e animais aquáticos de espécies diferentes não se misturassem. A situação já se normalizou com o fim das chuvas, mas uma equipe seguirá monitorando a possível queda de árvores, para que não afetem o recinto dos animais. A secretaria destacou, no entanto, que os animais não estão sendo retirados dos recintos. O Zoológico funciona normalmente amanhã.

O Instituto de Botânica foi afetado com alagamentos na entrada do parque, nas bilheterias e na Alameda das Palmeiras. Técnicos do instituto ainda estão avaliando os estragos causados pela chuva e, por isso, o parque não abre nesta sexta-feira. Caso a situação melhore entre hoje e amanhã, o parque volta a abrir no fim de semana.

Maiores índices pluviométricos registrados até as 19h:

Rio Pinheiros (Pte. Cidade Universitária) - 47,0mm
Rio Tamanduateí (Vd. Pacheco Chaves) - 34,6mm
Belenzinho - 34,4mm
Rio Aricanduva (Shopping) - 33,6mm
Córrego Ipiranga - 30,2mm
Vila Mariana - 23,8mm

Leia mais sobre:

Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG