Após audiência, Polícia Civil suspende greve por uma semana em São Paulo

SÃO PAULO - A Polícia Civil do Estado de São Paulo suspendeu a greve por uma semana nesta quarta-feira. Segundo o presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia, João Rebouças, a decisão foi tomada após uma reunião conciliatória de representantes de sindicatos e associações da categoria e do governo estadual. A audiência foi realizada nesta tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª região, na Rua da Consolação, região central da capital.

Redação |

  • Reajuste a policiais custaria 7,9 bi, diz governo

De acordo com a nota divulgada pelo TRT-SP com as propostas conciliatórias, o Tribunal formulou que até a próxima quarta-feira, dia 20, a categoria deverá apresentar uma pauta de reivindicações, partindo das mais urgentes.

Em nota, o TRT-SP divulgou que a próxima reunião com o sindicato, marcada para o dia 20, terá como principal objeto de discussão a proposta relativa à melhoria salarial, tendo em vista a estrutura de cargos.

Os policiais e agentes da Polícia Civil devem retornar normalmente ao trabalho apenas na quinta-feira. Depois da audiência, os integrantes dos sindicatos e associações permaneceram mobilizados para discutir a pauta de reivindicações.

Reivindicações

Os policiais exigem participação nos estudos do projeto de reestruturação da Polícia Civil, cumprimento da data-base, transformação de vencimentos em subsídios, valorização das carreiras policiais civis, com aumentos salariais que variam 58% a 200%, aposentadoria especial, plano de carreira viável, fixação de carga horária semanal, entre outros pontos.

Segundo a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (ADPESP), um delegado em início de carreira recebe hoje R$ 3.708, incluindo gratificações, enquanto que o mesmo cargo em Brasília chegaria a R$ 10.000 e, no Mato Grosso, a R$ 8.000. Um investigador em início de carreira tem salário de R$ 1.757. Os policiais afirmam que não têm reajustes significativos nos salários há 13 anos e que a defasagem chega a 200%.

O governo do Estado diz concordar em discutir uma reestruturação das carreiras, o que provocaria um aumento imediato para os policiais, mas com índices bem menores. Na tarde desta quarta-feira, sindicato e governo vão se reunir para decidir os rumos da paralisação.  

Leia mais sobre: polícia civil

    Leia tudo sobre: policia civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG