Após ameaças, varas criminais são transferidas no Rio

Após uma série de ameaças feitas por milicianos e a interrupção de uma audiência a tiros, as duas varas criminais e o Tribunal do Júri de Campo Grande, na zona oeste, se transferiram hoje para o prédio do Tribunal de Justiça (TJ), no centro do Rio. O presidente do TJ, desembargador Luiz Zveiter, negou que a mudança seja um recuo frente aos grupos paramilitares e disse que a ação visa proteger testemunhas e jurados.

Agência Estado |

"Este tipo de crime organizado incita a comunidade, que vai para a porta do Fórum e faz ameaças veladas", declarou Zveiter. Ele anunciou que as varas criminais de Bangu e Santa Cruz, na mesma região, também serão transferidas por questões de segurança.

O juiz titular da 2ª Vara Criminal de Campo Grande, Rubens Casara, afirmou, após a inauguração das salas das varas criminais, que Campo Grande vive uma "crise de legalidade com a multiplicação de milícias". "Já tivemos audiências interrompidas a tiros do lado de fora do Fórum", lembrou Casara. Em abril do ano passado, um carro com homens armados emparelhou com o veículo que levava o juiz. Um dos homens mostrou o fuzil para o magistrado e o carro partiu em alta velocidade. "Foi uma abordagem na Avenida Brasil. O caso foi comunicado a Segurança Institucional, que fez uma tentativa de identificar o que tinha acontecido, mas nada foi demonstrado", afirmou o juiz.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG