Após alta, começa o depoimento de Nayara em Santo André

SANTO ANDRÉ ¿ A jovem Nayara Silva, de 15 anos, recebeu alta do Centro Hospitalar de Santo André, nesta tarde, por volta das 14h30. Ela prestará depoimento no hospital. Seu relato deve terminar por voltas das 19 horas. Nayara estava internada desde a última sexta-feira (17), quando levou um tiro no rosto após ser feita refém por Lindemberg Alves, ex-namorado de sua amiga Eloá Pimentel, que também foi mantida refém e morreu com um tiro na cabeça.

Livia Machado |

Acordo Ortográfico  Em seu depoimento, Nayara deve relatar o que aconteceu durante o sequestro no apartamento de Eloá, ao delegado responsável pelo caso, Sérgio Lucci, e ao promotor de Justiça Antônio Nobre Folgado.

A estudante está acompanhada por seu advogado, Ângelo Carbone, por um representante do Conselho Tutelar, pelo secretário da Saúde de Santo André e pela diretora do Centro Hospitalar, Rosa Maria de Aguiar.

O depoimento começou às 15 horas e está programado para acabar às 19 horas, podendo ser interrompido a qualquer momento por Nayara, caso a jovem não passe bem.

A advogada de defesa de Lindemberg Ferreira Alves, Ana Lúcia Assad, chegou por volta das 17 horas ao Centro Hospitalar de Santo André. Sem dar declarações sobre o caso, ela disse que estava ali para acompanhar o depoimento. Minutos depois de sua chegada, ela recebeu a notícia de que sua entrada não seria autorizada.

Ana Lúcia disse em entrevista coletiva que acionou a OAB de Santo André para conseguir acompanhar o depoimento de Nayara. A defesa tem o direito de acompanhar o depoimento, afirmou. A advogada entende que a postura da promotoria está prejudicando o trabalho da defesa.

Veja a retrospectiva do caso

O caso

O sequestro começou na segunda-feira (13) e se prolongou até sexta-feira, tendo durado mais de 100 horas. Lindemberg invadiu o apartamento de Eloá por volta das 13h30, por estar inconformado com o fim do relacionamento com a estudante.

Na terça-feira, ele libertou a amiga da ex-namorada, Nayara, que foi rendida novamente na manhã de quinta-feira. Seu retorno foi um pedido do sequestrador como condição para a libertação de Eloá, mas, quando a menina entrou no apartamento, tornou-se refém.

Pouco antes do desfecho do sequestro, a equipe do Batalhão de Choque da PM estava posicionada no apartamento ao lado onde estavam Lindemberg e as reféns. De acordo com a polícia, na sexta-feira, os agentes decidiram invadir o apartamento após ouvirem um disparo.

O depoimento de Nayara é considerado importante para esclarecer a ordem dos acontecimentos, pois ainda há dúvidas se os tiros foram disparados devido à explosão da porta, ou se a invasão da polícia ocorreu por causa de um disparo anterior. 

Leia também:

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG