Após 42 dias de estiagem, chuva reduz poluição em São Paulo

SÃO PAULO - A chuva que atingiu o Estado de São Paulo a partir das 22 horas de sábado e continuou indo e voltando ontem foi um alívio para os pulmões dos paulistanos. Depois de 42 dias de estiagem, ela ajudou a diminuir a poluição na região metropolitana, interior e litoral.

Agência Estado |

Choveu também no Rio de Janeiro, sul de Minas e Mato Grosso do Sul, outras regiões que sofriam com o clima seco.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mostram que as precipitações elevaram para quase 100% a umidade relativa do ar no fim de semana. Na sexta-feira, esse índice chegou a 19%, ou "estado de alerta", segundo tabela da Organização Mundial de Saúde (OMS), que considera adequada a umidade acima dos 30%.

Além de maior umidade, a chuva (que ajuda a dispersar poeira) e os ventos (que dispersam o monóxido de carbono expelido pelos automóveis) também ajudaram a reduzir os níveis de poluentes, que formaram nos últimos dias uma verdadeira capa cinza sobre a cidade.

De acordo com o boletim das 20 horas de ontem da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental de São Paulo (Cetesb), a qualidade do ar melhorou em todos os pontos de observação e era considerada boa no Estado - exceto nas estações de Ribeirão Preto e Cubatão, que apesar da melhora, ainda tinham qualidade regular.

Para esta semana, a previsão da Climatempo é que frentes frias vindas do Sul atinjam a capital e tragam mais chuva entre amanhã e sexta-feira. Ainda hoje pode haver chuvisco no litoral norte, na Serra da Mantiqueira e no Vale do Paraíba. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: chuva

    Leia tudo sobre: chuva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG