Após 4 dias, operações da Webjet voltam ao normal

Passageiros enfrentaram diversos transtornos esta semana. Empresa teve a venda de bilhetes proibida temporariamente pela Anac

iG São Paulo |

A companhia aérea Webjet iniciou esta sexta-feira operando normalmente, após quatro dias seguidos com problemas de cancelamentos. Dos 40 voos previstos para até as 10h, apenas dois (5%) foram canceladas, segundo balanço da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Por conta dos atrasos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu a venda de bilhetes da Webjet para os voos programados até a esta sexta-feira.

Procurada, a Anac disse que a venda de passagens poderá ser realizada normalmente a partir de sábado, já que a situação está voltando ao normal. A agência informou que, durante toda a semana, fiscais estiveram nos principais aeroportos acompanhando as operações da companhia e também as reclamações feitas por usuários e o atendimento dado a eles. Um relatório sobre a situação da empresa será realizado e deve ficar pronto em 15 dias.

Somente após isso, a Anac decidirá se a empresa será novamente multada por conta dos transtornos causados aos clientes. Em julho, a Webjet foi autuada em R$ 225 mil por ter excedido a carga horária da tripulação.

Em nota enviada à imprensa nesta sexta-feira, a Webjet informa que "opera normalmente a malha aérea, tendo solucionado completamente as questões que a fizeram cancelar parte de seus voos durante esta semana".  "A companhia reforça que vem trabalhando para oferecer a melhor relação custo-benefício do setor aéreo(...). A empresa lamenta os inconvenientes causados aos seus clientes e reforça o compromisso de continuar trabalhando para aqueles que querem voar de forma agradável pagando sempre os melhores preços", diz a nota.

Cancelamentos

A série de cancelamentos teve início na última segunda-feira, quando a companhia cancelou 46 (35,7%), dos 129 voos previstos para o dia. Outros 39 voos (30,2%) tiveram atrasos superiores a uma hora. Mas o pico de cancelamentos foi registrado na quarta-feira, quando a quantidade de cancelamentos chegou a 51,7% de seus 120 voos cancelados.

Além da suspensão feita pela Anac, o Ministério Público Federal no DF (MPF/DF) instaurou inquérito civil público para apurar causas e responsabilidades dos atrasos e cancelamentos de voos da companhia aérea nos últimos dias. O procurador da República Marcus Marcelus Goulart solicitou informações à empresa aérea e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo o MPF, elas têm dez dias úteis para atender à requisição.

    Leia tudo sobre: voowebjetaeroportos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG