O governo do Piauí decretou ontem situação de emergência após a morte, em Teresina, de duas gestantes na Maternidade Dona Evangelina Rosa, nos últimos dias 18 e 20, com suspeita de Influenza A (H1N1), popularmente conhecida como gripe suína. O Estado já tem dois casos confirmados da doença neste ano.

A determinação foi tomada durante reunião entre o governador Wellington Dias e as principais autoridades em saúde do Estado e município a fim de traçar estratégias de combate à nova gripe.

O documento também é uma medida de urgência, válida por três meses, que garante facilidade na compra ou aluguel de equipamentos para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos hospitais que recebem pacientes com sintomas da doença.

Outra medida tomada foi a liberação de 16 leitos do hospital da Polícia Militar (PM) para a transferência de pacientes do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela que não estejam com a Influenza A. Dessa forma, o instituto, que hoje é a referência do Estado para o combate à nova gripe, ficará à disposição de pacientes acometidos da doença.

O secretário Estadual de Saúde, Assis Carvalho, informou que as grávidas com suspeita da doença não serão mais tratadas na Maternidade Dona Evangelina Rosa, mas no Natan Portela, onde receberão atenção especial. O Piauí registrou até agora a morte de uma pessoa vítima de Influenza A. Neste ano já são 27 casos suspeitos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.