SÃO PAULO - Onze anos após a entrada em vigor do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) anunciou nesta terça-feira que agora passará a cumprir pontos fundamentais da lei, no que diz respeito à segurança de pedestres. Números da Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) indicam que duas pessoas morrem atropeladas por dia em São Paulo.

E, na maioria dos casos, fora da faixa de segurança. De janeiro a agosto deste ano, houve 926 mortes, sendo 455 de pedestres.

A realidade é a mesma há dois anos, como já mostrou o caderno especial "Dossiê Estado: Trânsito", publicado em 18 de setembro com dados de 2007 e que revelava uma epidemia de mortes por acidentes na capital paulista.

Um dos principais pontos da campanha lançada nesta terça para reduzir o número de óbitos - que tem custo total de R$ 2,2 milhões - é intensificar a fiscalização e punir os motoristas que não respeitarem os pedestres.

A CET diz que vai passar a multar, por exemplo, quem não der preferência aos pedestres nas faixas (7 pontos na carteira nacional de habilitação e multa de R$ 191,53), estacionar sobre a faixa de pedestres (5 pontos e multa de R$ 127,69) e estacionar sobre as calçadas (5 pontos e R$ 127,69 de multa). De acordo com dados da Prefeitura, a capital tem um índice de 1,13 morte por atropelamento por 10 mil veículos. Esse número fica abaixo da média nacional, de 4,1, mas muito acima da dos EUA (0,20) e da Grã-Bretanha (0,26), por exemplo. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: trânsito

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.