Após 10 anos, genéricos respondem por 17% do mercado

Representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da indústria de genéricos avaliaram ontem, em audiência pública, a evolução dos genéricos nos 10 anos de implantação no País, segundo informações da Agência Câmara. De acordo com os dados da Anvisa, os genéricos respondem por 17% dos remédios comercializados no Brasil.

Agência Estado |

Para o presidente Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró-Genéricos), Odnir Finotti, a desinformação dos consumidores e o prazo das patentes são os dois principais desafios que enfrentam os fabricantes nacionais. O prazo de validade das patentes é de 20 anos, mas os donos das marcas conseguem liminar na justiça para estender esse período, com argumentos baseados em leis estrangeiras, destacou ele.

Já a gerente de Tecnologia da Anvisa, Tatiana Lowande, ressaltou que o órgão realiza um trabalho de conscientização da classe médica, para que esses profissionais ofereçam ao paciente a opção do genérico. O presidente da Pró-Genéricos lembrou que em alguns países da Europa, os genéricos chegam a responder por 85% medicamentos comercializados. No Brasil, os genéricos custam em média 35% menos em relação aos medicamentos de referência e, atualmente, são comercializados mais de 2.000 tipos registrados.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG