Apoio de 14 partidos consolida favoritismo de Temer

O apoio de 14 partidos, reafirmado hoje com a criação de um bloco parlamentar com 426 deputados, levou o candidato à presidência da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), a se consolidar como favorito para a sucessão de Arlindo Chinaglia (PT-SP) na presidência da Câmara. A eleição será na segunda-feira com outros três candidatos na disputa: Aldo Rebelo (PCdoB-SP), Ciro Nogueira (PP-PI) e Osmar Serraglio (PMDB-PR).

Agência Estado |

"Prevejo o dia 2 com vitória, mas vou aguardar", disse Temer, ao lado de líderes e representantes dos 14 partidos. A criação do bloco hoje foi mais um movimento para mostrar força política. Ele concentra 83% do total de deputados da Casa, mas o número não significa votos automaticamente. Os outros candidatos apostam na dissidência, que poderá levar a eleição para o segundo turno e alterar a correlação de forças na disputa. Na análise dos adversários de Temer, o apoio institucional dos partidos faz do candidato o favorito, mas não decide a eleição. "Eu também posso dizer que prevejo vitória no dia 2", reagiu Serraglio, consciente de sua posição de desvantagem no momento.

O apoio dos 14 partidos foi resultado de uma articulação que envolveu a distribuição dos demais cargos na Mesa. A formação do bloco, no entanto, libera todos os deputados das 14 legendas para disputar os cargos da Mesa. Isso significa que o cargo que foi, por exemplo, destinado ao PTB na chapa articulada por Temer, poderá ter deputados de outras legendas do blocão na disputa. É o que pretende fazer a deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), que está em campanha para a quarta secretaria.

Cargos

O blocão (PMDB, PT, PSDB, DEM, PPS, PTB, PR, PDT, PV, PSC, PRB, PHS, PTC e PT do B) poderá ocupar 10 dos 11 cargos (7 titulares e 4 suplências). O PT ficará com dois: a primeira vice-presidência e a terceira secretaria. O DEM ficará com a segunda vice-presidência. No acordo, coube ao PSDB a primeira secretaria, ao PR a segunda secretaria e ao PTB a quarta secretaria. As suplências deverão ser ocupadas por deputados do PV, do PDT e do PPS.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG